MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A VIDA NO PLANETA TERRA FOI TEMA DE SEMINÁRIO EM PATOS-PB - Desterro1

ÚLTIMAS

Desterro1

O Blog numero 1 de Desterro.

Publicidade e Propaganda

test banner

PUBLICIDADE CAPA 2 - DESTERRO

test banner

ANUNCIO INTERNO 1

PUBLICIDADE test banner

8 de fev. de 2018

MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A VIDA NO PLANETA TERRA FOI TEMA DE SEMINÁRIO EM PATOS-PB

Com objetivo de debater sobre a realidade dos Biomas Brasileiros e os Processos de degradação ambiental que acometem na atual realidade brasileira, a Diocese de Patos, em parceria com o Comitê de Energias Renováveis do Semiárido (CERSA), promoveu nesta terça-feira, 06 de fevereiro, no Centro de Treinamento de Lideranças, em Patos/PB, o Seminário “Mudanças Climáticas e Justiça Social: impactos ambientais em nossa casa comum”. 

O evento teve início às 7h30 com um café da manhã, seguindo da mística de abertura onde representantes de entidades, dioceses e sociedade civil organizada, puderam discutir temas abordados como; a contribuição da LAUDATO SI para uma reflexão global sobre os processos de mudanças climáticas e os desafios que apontam os projetos centralizados de energias “renováveis”.  

Além desses temas, foram apresentados o Projeto Igreja Solar (Paróquia Solar) e o Projeto Semiárido Solar, e relatadas de experiências sobre boas práticas descentralizadas de energias renováveis que vêm sendo implantadas no estado da Paraíba.

Ivo Poleto, do Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social (FMCJS), abriu a palestra contextualizando os biomas brasileiros e os impactos das mudanças climáticas, contribuindo para uma reflexão global e para o LAUDATO SI.

Em entrevista ao Programa Desperta Sertão, Ivo Poleto destacou os desafios e as possibilidades dos tempos de hoje.

“Nós estamos vivendo um tempo altamente desafiador e nós temos todas as possibilidades técnicas de enfrentar os problemas que o nosso planeta está vivendo e sentindo. Nós temos as condições para fazermos diferente, só que a mudança é difícil, pois, ela implica vontade política e do povo”, destacou.

Para o mestre em Ciências e Tecnologias Nucleares na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Heitor Scalabrini, o momento é rico para a discursão sobre as mudanças climáticas.

“É um momento muito rico, onde se reúnem pessoas acadêmicas, comunidades rurais e técnicos, O que eu espero mesmo que esse evento seja um processo em que várias entidades que já estão envolvidas, consigam atingir o objetivo”, disse.

Maria Solange, presidente da Associação Comunitária de Várzea Comprida, falou sobre a padaria solar, projeto que é sucesso em sua comunidade.

“A padaria é uma experiência muito boa, pois, aproveitamos tudo que temos. Através de um projeto feito pelo CERSA, foram implantadas 12 placas de captação de energia solar no estabelecimento, onde gera 100% de energia”, relatou.

À tarde, foram apresentados relatos de experiências fotovoltaicas como; a Padaria Solar, beneficiamento de polpas de frutas, bombas hidráulicas e Escola Solar, biodigestores, fogões eficientes, além dos Projetos de Igreja Solar.

Finalizando o seminário, Irenaldo Pereira de Araújo, coordenador na Ação Social Diocesana de Patos, mediou os debates onde foram apresentados os desafios das experiências, energias eólicas e seus impactos, além da apresentação do Projeto Semiárido Solar, apresentado por César Nóbrega do CERSA.

O evento contou com cerca de 75 pessoas, entre elas, O Bispo Diocesano de Patos, Dom Eraldo Bispo da Silva, o Presidente da Ação Social Diocesana de Patos, Pe. João Saturnino de Oliveira, além de representantes das comunidades quilombolas, agricultura família e diversas entidades parceiras como IFPB, Cáritas, Projeto Semiárido Solar, CEPSF, entre outras. 



Fonte: ASDP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante para o blog.

ANUNCIO INTERNO 2

test banner