UFPB se torna guardiã do “Memorial Agassiz Almeida” - Desterro1

ÚLTIMAS

Desterro1

O Blog numero 1 de Desterro.

Publicidade e Propaganda

test banner

PUBLICIDADE CAPA 2 - DESTERRO

test banner

ANUNCIO INTERNO 1

PUBLICIDADE test banner

4 de ago. de 2017

UFPB se torna guardiã do “Memorial Agassiz Almeida”

No dia 22 de julho de 2017, em reunião realizada, a UFPB, sob a presidência da reitora Margareth Diniz, após decisão do Conselho Universitário tornou-se guardiã do “Memorial Agassiz Almeida”, instalado no secular prédio da antiga Faculdade de Direito da Paraíba, na Praça dos Três Poderes, João Pessoa, PB.

Por sua importância esta reunião despertou as atenções dos meios universitários, e teve o comparecimento de diretores de centros e representantes do corpo acadêmico e funcional. Em parecer embasado numa ampla visão do papel da universidade nos dias atuais, a professora e relatora do processo de doação Adriana Dias traçou a perfil biográfico de Agassiz Almeida, cuja polivalente atuação política, literária e educacional produziu uma obra que engradece a história da Paraíba e do Brasil.

Desde a sua juventude, aos 18 anos eleito vereador por Campina Grande, ele abraçou a campanha pelo “O Petróleo é nosso”, fundou cooperativas, colégios, faculdades, desafiou o coronelismo nos cariris paraibano, e o sistema semifeudal de exploração dos camponeses nas várzeas férteis do Nordeste, e foi descobridor do minério bentonita. Em 1964, o golpe militar cassou o seu mandato de deputado estadual, foi demitido de suas funções de professor da UFPB e de Promotor de Justiça. Exilado, lutou contra as ditaduras do Chile e de Portugal. Em 1986, elegeu-se deputado federal constituinte. Em 1990, deixou a política e construiu uma obra literária aclamada em todo o Brasil, destacando-se estes livros:“500 anos do povo brasileiro”, “A república das elites”,“A ditadura dos generais”, e “O fenômeno humano”.

Com a palavra o diretor do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) professor Fredys Sorto acentuou a importância do “Memorial Agassiz Almeida” para a UFPB, destacadamente porque aquele acervo literário e documental abrange um conturbado período da história do Brasil, na segunda metade do século XX, e se    encontra instalado no antigo prédio da Faculdade de Direito da Paraíba.

 O “Memorial Agassiz Almeida” abrilhanta aquele centro de estudos e pesquisas, pois contém um valioso e histórico acervo que servirá as atuais e futuras gerações. A passagem de Agassiz Almeida como aluno e professor da UFPB marcou uma história. Foi um dos fundadores da Faculdade de Ciências Econômicas e inspirador da criação da Faculdade de Direito, ambas em Campina Grande. 

Portanto, senhores membros deste Conselho, engradece, sem dúvida, a nossa UFPB o acervo literário e documental que recebemos. Personalidade que faz história como educador, escritor e militante político.

Encerrando, ressaltou a reitora Margareth Diniz: É de relevante importância para a UFPB o acervo literário e político que recebemos do ex-aluno, do professor, escritor e ex-deputado federal Agassiz Almeida. Relembro agora o momento em que o dr. Agassiz Almeida fazia esta doação na presença do ministro Herman Benjamin que elogiou a decisão do doador.

Terminada a discussão da matéria foi aprovada por unanimidade e acompanhada com votos de aplausos. Ouvida a respeito desta decisão disse a vice reitora Bernardina Freire: “É para todos nós uma imensa satisfação receber o acervo literário e documental de Agassiz Almeida, uma personalidade que se projeta nos nossos meios acadêmicos, e políticos com uma grande história.



Redação Desterro1 com Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante para o blog.

ANUNCIO INTERNO 2

test banner